Seris promove ações para resgatar autoestima das reeducandas do Santa Luzia

Palestras educativas, dinâmicas, oficina de maquiagem e amor, esses foram alguns dos ingredientes que tornaram a semana das internas mais feliz. Nesta semana, a Secretaria de Estado da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) desenvolveu atividades especiais ara lembrar o Dia Interenacional da Mulher.

As ações ocorreram no Presídio Santa Luzia, situado no complexo penitenciário, e tiveram como foco o resgate da autoestima das custodiadas. A chefia da unidade lembra que a açõa trouxe um impacto positivo na gestão da presídio, com a melhoria da convivência entre as internas e evolução no processo de reintegração social.

A gerente do Presídio Santa Luzia, agente penitenciária Geórgia Hilário, revela que o resgate da autoestima das custodiadas é fundamental para que elas agreguem e transmitam bons valores sociais.

“A equipe da unidade idealizou o projeto e buscamos parcerias para executá-lo. Embora as reeducandas estejam cumprindo pena, a dignidade delas como pessoas e como mulheres, não pode ser esquecida. Trabalhamos para que elas voltem para sociedade mais preparadas e ressocializadas”, afirma Geórgia Hilário.

A deputada estadual Jó Pereira foi uma das apoiadoras do projeto. A assessora da parlamentar, Marcele Teles, ressalta a importância do olhar diferenciado da sociedade para o sistema prisional. “Parabenizamos essas mulheres por esta semana especial da e, também, levamos a esperança do recomeço, mostrando que as oportunidades estão surgindo para que elas mudem de vida com novas escolhas”, disse.

Outras atividades

Uma série de ações são desenvolvidas de maneira rotineira no Presídio Santa Luzia, tornando a unidade uma referência nacional. Mensalmente, uma roda de conversa é realizada para que as reeducandas falem abertamente sobre seus medos e angústias, recebendo a assistência da equipe psicossocial da unidade.

O espaço materno-infantil da unidade possibilita que seja ofertado um tratamento de referência para as gestantes, lactantes e bebês. Além disso, atividades físicas são desenvolvidas duas vezes por semana, sob a supervisão da educadora física da Seris, Manoela Moreira.

A educação formal é ofertada nos turnos matutino e vespertino. Livros literários também são disponibilizados para estimular o conhecimento e fazer da leitura um hábito. “É muito bom notarmos a evolução das internas como mães, como mulheres. Isso comprova que estamos no caminho certo”, conclui Hilário.

Ascom – 12/03/2018

(Visited 6 times, 1 visits today)