Acusado de matar advogada no PR pede transferência de presídio

A defesa do professor Luis Felipe Manvailer, de 32 anos, acusado de matar a esposa, a advogada Tatiane Spitzner, de 29 anos, pede que ele seja transferido da Penitenciária Industrial de Guarapuava (PIG) para o Complexo Médico-Penal (CMP), em Pinhais, na Região de Curitiba, “para atendimento psiquiátrico e psicológico urgente”. Segundo a defesa, Manvailer teria tentado tirar a própria vida. Ele está em uma cela especial destinada a presos provisórios com ensino superior.

A advogada foi encontrada morta depois de cair do 4º andar do prédio onde morava com o marido, no Centro de Guarapuava, município a 252 quilômetros de Curitiba, na região central do Paraná. Imagens de câmeras de segurança do prédio mostraram que ela foi agredida durante 20 minutos por ele antes da queda, diz o G1.

Manvailer foi preso no mesmo dia da morte da advogada a 340 quilômetros de Guarapuava, em São Miguel do Iguaçu, quase na fronteria com o Paraguais. Ele é suspeito de ter matado Tatiane. Ele nega as acusações e diz que a mulher se jogou da sacada.

O professor foi denunciado por homicídio, fraude processual por alterar a cena do crime e cárcere privado pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR).

08/08/2018

(Visited 5 times, 1 visits today)